quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

A glândula pineal: antena humana?



Atividade  Física / Psíquica


Uma fascinante série de estudos mostram alguma correlação entre a atividade geomagnética e um aumento em sonhos ou atividade psíquica.

Em um estudo, o famoso parapsicólogo Stanley Krippner instalou um laboratório do sono, onde alguns participantes dormiram em uma sala enquanto os outros participantes tentaram "enviar" algumas imagens, com a esperança de que estas imagens sejam incorporados os sonhos dos participantes dormia.
Ao acordar os dorminhocos tinham de descrever seus sonhos em grande detalhe, para determinar se havia alguma correlação com as imagens-alvo que tinha sido "enviada" em seus sonhos.


Paralelo a isto as
atividade geomagnética local foi monitorado por 20 noites durante o exercíco. Neste caso, verificou-se que durante as noites de atividade geomagnética menor, a mulher tinha uma precisão muito maior na recolha de imagens do alvo.


http://1.bp.blogspot.com/_xelwo2DhfD4/TKvVkvGZxnI/AAAAAAAABHM/WlLV_IrjbvA/s1600/antena+humana.jpg


Ninguém sabe exatamente o que fazer com a glândula pineal.

Esta glândula (ervilha em forma de cone) está localizado no teto do terceiro ventrículo do cérebro, atrás da raiz do nariz, flutuando em um pequeno lago de líquido cefalorraquidiano. Porque ele está localizado no centro do cérebro, neurocirurgiões e radiologistas têm encontrado uma boa referência útil para a cirurgia cerebral. Mas não passa de uma utilização espacial... tal como um cara alto em uma sala de anões... acaba sendo só um ponto de referência espacial.


Mas até muito
pouco tempo, a pinela foi objecto de muita tradição como um portal para a alma ou o reino superior, a válvula de memória, um vórtice de energia, a chave primária de fluidos vitais e até mesmo a origem das doenças mentais.


Foi o filósofo René Descartes, que primeiro se apropriou da idéia de que a glândula pineal é a sede da alma, um único ponto de encontro entre o corpo e a alma.

Nos tempos modernos, a glândula foi vista como "excedente", sobras de lixo neurológicos e considerado pela comunidade científica como um excesso ou um resquício da evolução, o "apêndice do cérebro".
 
Mas a pineal não é de toda inútil... mesmo para céticos de suas funções: Em todos os vertebrados superiores, incluindo seres humanos, a glândula pineal secreta melatonina. A produção desse hormônio é estimulada pela escuridão e inibida pela luz.


A glândula pineal tem sido chamada de foto-transdutor neuroendócrino. Assim, uma informação ambiental (claridade ou escuridão) pode estar sendo convertida em um sinal neural, uma mensagem química - neste caso, para ativar ou desativar a produção de melatonina. E apenas isto ja não é pouca coisa.


Mestre do Tempo

A melatonina, entre outras coisas, funciona como uma espécie de relógio mestre que regula o sono e a vigília, e retarda o processo de envelhecimento, a regulação do crescimento e até mesmo a manutenção da estabilidade mental.


Embora os cientistas percebam que a glândula pineal é sensível à luz, foi sempre assumido que a luz ou a escuridão são "percebidas" pelo cérebro (oficialmente), como de costume, junto dos receptores dos cones na retina do olho e abre o caminho para a glândula através dos nervos simpáticos. Ou seja, de maneira "indireta".


A sabedoria convencional é que uma pequena percentagem dos impulsos nervo óptico sejam desviados para a glândula pineal a partir da via visual, e é essa entrada que controla a produção de melatonina.

A pesquisadora Serena Roney-Dougal coletou alguns dos dados mais interessantes no qual o "fluxo geomagnético da Terra", pode "estimular" a glândula pineal e nos permitiria fisicamente "sintonizarmo-nos" a este  "fluxo geomagnético", ou seja
"sintonizarmo-nos com a terra".
 
Glândula Psycodelica


Além da melatonina, a glândula pineal também produz "neuromoduladores" - produtos químicos - chamados de beta-carbolinas - que afetam o cérebro. Beta-carbolinas são inibidores da MAO (monoamina oxidase), bem como inibidores da recaptação da serotonina, o que significa que impede a repartição de serotonina, inibindo a sua absorção dentro das sinapses do cérebro.
 

Isso é semelhante ao que os médicos dizem que é a ação de inibidores seletivos de serotonina (ISRS) como Prozac.

Algumas evidências sugerem também que a pineal pode produzir uma substância alucinógena chamada 5 methoxydimethyltryptamine (5-metoxi-DMT) de melatonina. O que poderia ser o resultado é uma reunião conjunta destas aminas nas sinapses do cérebro, causando reações que são semelhantes aos de drogas alucinações induzidas.


A visão atual é que os neuromoduladores precisa de 5-metoxi-DMT e DMT para o trabalho e, através do bloqueio da MAO regula a glândula pineal e da concentração de serotonina. Esta função reguladora do bloqueio de um químico e promover outro é pensado para ser o catalisador de sonhos.

Vários fatos sugerem que a produção de serotonina e melatonina pode ser de alguma forma envolvidos em fenômenos psíquicos. Primeiro, muitas substâncias alucinógenas são parentes química dos produtos produzidos pela glândula pineal.

O Yage ou Ayahuasca, uma bebida cerimonial feita por algumas tribos da Amazônia para produzir efeitos psicológicos da clarividência, cura e premonição, é produzido a partir de estirpes nativas (Banisteriopsis caapi), que são quimicamente quase equivalente a 5-metoxi-DMT em seres humanos
.


Sintonizado e CAPTANDO...

Quando a glândula pineal é estimulada geomagneticamente, produz (NATURALMENTE) substâncias químicas que são similares às plantas alucinógenas, que contribuem para alterar a consciência. Outros estudos mostram que as drogas psicodélicas alterar os níveis de melatonina e serotonina, que é, em alguns casos, a psicose.

Então, como poderia flutuações geomagnético da Terra afetar essas substâncias químicas do cérebro?

Pesquisadores descobriram que os campos electromagnéticos e geomagnéticos afetam grandemente a produção e a atividade da enzima hidroxiindol-O-metiltransferase (HIOMT). Esta enzima que está envolvida na produção de melatonina e, possivelmente, 5 methoxytryptamine (5-MT). Qualquer alteração no campo magnético pode produzir mudanças na atividade desta enzima. Estudos em animais mostraram também que qualquer mudança no campo magnético do ambiente - seja aumentada ou diminuída - inibem a produção de HIOMT. Outras pesquisas mostram que a serotonina N-acetiltransferase, a enzima envolvida na produção de melatonina, é fortemente influenciada por campos eletromagnéticos.


Se este fosse o caso, diz Roney-Dougal, quaisquer alterações importantes no ambiente do campo magnético da Terra produziria uma avalanche de alucinógenos naturais em nossos corpos, seria psicologicamente mais receptivos.
 
Atividade  Física / Psíquica


Uma fascinante série de estudos mostram alguma correlação entre a atividade geomagnética e um aumento em sonhos ou atividade psíquica.


Em um estudo, o famoso parapsicólogo Stanley Krippner instalou um laboratório do sono, onde alguns participantes dormiram em uma sala enquanto os outros participantes tentaram "enviar" algumas imagens, com a esperança de que estas imagens sejam incorporados os sonhos dos participantes dormia.

Ao acordar os dorminhocos tinham de descrever seus sonhos em grande detalhe, para determinar se havia alguma correlação com as imagens-alvo que tinha sido "enviada" em seus sonhos.


Paralelo a isto as atividade geomagnética local foi monitorado por 20 noites durante o exercíco. Neste caso, verificou-se que durante as noites de atividade geomagnética menor, a mulher tinha uma precisão muito maior na recolha de imagens do alvo.


É muito possível que o nosso potencial humano é maior quando estamos em harmonia com a terra e o sol. As culturas tradicionais tiveram uma maior compreensão desta harmonia energética, e nós faríamos bem em aprender com eles.


Fonte: http://abriendoetapas.blogspot.com/2010/10/la-antena-humana-glandula-pineal.html
Postar um comentário