quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Fundamentos do Budismo Chinês – Pelo Prof. Monteiro -

Palestra Gratuita de Apresentação:

3 de março de 2011 – 20:00 hs


Curso Especial: Fundamentos do Budismo Chinês


Aberto a todos os interessados



Existem diversas razões que apontam para a importância fundamental do estudo do Budismo chinês. A reflexão sobre o Budismo indiano pode ser suficiente para o esclarecimento das bases normativas do pensamento budista, mas o estudo do Budismo chinês nos permite compreender entre outras coisas o primeiro processo de interação entre o Budismo e uma civilização já consolidada a partir de outras bases.

Diferentemente do Tibet e dos países do sudeste da Ásia que consolidaram suas culturas a partir da introdução do Budismo, o Budismo chinês se constitui no resultado de uma interação criativa entre o Budismo e uma cultura já devidamente consolidada.

Existem pelo menos duas razões que fazem desse estudo uma importante atividade de compreensão da interação entre o Budismo e os sistemas culturais. A primeira delas consiste no fato de que a introdução do Budismo na China se constitui no primeiro e único precedente à atual interação entre o Budismo e a modernidade ocidental. A segunda é a existência de um forte renascimento budista na China contemporânea, fenômeno este cujo estudo pode contribuir para a compreensão dos possíveis rumos a serem assumidos por essa civilização no contexto do século XXI.


O presente curso pretende esclarecer o processo de formação do Budismo chinês mantendo uma relação tensa entre a complexidade de seu desenvolvimento histórico e suas temáticas filosóficas.


Temas centrais:


- A introdução do Budismo na China,o processo de tradução da literatura budista e o problema da “comparação dos conceitos”.

- As traduções de Kumarajiva,o debate entre as escolas San Lun e Satyasiddhi e a consolidação da “Ideologia Mahayanista” chinesa.

- A formação do “Tratado do Despertar da fé do Mahayana”,as traduções da literatura Yogacara por Xuan Zhang e a “teoria da consciência” no Budismo chinês.

- O renascimento budista na China moderna e contemporânea e suas implicações.”


Quando: Todas as 5as-feiras, às 20:00 hs, durante 4 meses – 16 aulas
 
Início do Curso: 11 março de 2011
Término: 30 junho (não haverá aula no feriado 21 de abril)


Dojô Porto Alegre Aikikai da Associação RS Aikikai

Av. Cristóvão Colombo, 378

Bairro Floresta (em frente ao Shopping Total) – Porto Alegre, RS




* Rev. Prof. Joaquim Monteiro - Formado em Psicologia pela Universidade Santa Úrsula, do Rio de Janeiro, o Professor Monteiro continuou sua carreira acadêmica no Japão e em Taiwan, países onde lecionou em instituições de Ensino Superior. No Japão permaneceu 18 anos, entre 1985 e 2003, onde formou-se no Seminário Budista de Shinshu Otani-ha da Tradição Terra Pura, em Kyoto, em junho de 1987. Posteriormente cursou o mestrado e o doutorado na Universidade Soto Zen Budista de Komazawa**, em Tóquio, onde especializou-se no estudo do Budismo Chinês, e recebeu o título de Doutor, em março de 2000.

Durante sua atuação acadêmica profissional, atuou como pesquisador do Instituto de Pesquisa de Cultura Budista, na Universidade Doho, em Nagóia de 1989 a 2004. Entre 2001 e 2003, foi professor horista do Departamento de Estudos Budistas da Universidade de Komazawa, em Tóquio. Em 2003 foi convidado a ensinar e pesquisar no Departamento de Língua Japonesa da Ishou University, em Taiwan, e transferiu residência para este país permanecendo até 2005.

A produção intelectual do Professor Joaquim Monteiro está praticamente toda em Japonês, língua em que escreveu um livro e uma série de artigos teóricos sobre os Estudos Budistas. Dentre eles destacam-se o livro Crítica ao Budismo Imperial – 1998; e os artigos Resenha do livro “Pruning the Bodhi Tree – The Storm over Critical Buddhism” – 1998, A Respeito da Relação entre o Budismo e os Direitos Humanos – Centrado entre o Discurso e a Discriminação – 2001, Shoyo: Paul J. Griffiths, Religious Reading – The Place of Reading in the Practice of Religion – 2001; O Problema da Filosofia Budista no Japão Contemporâneo – 2002, e A Respeito da Problemática Metodológica dos Estudos Budistas – Sua Relação com as Questões do Autoritarismo e da Discriminação – 2002.  (Todos os títulos são traduções dos mesmos em Japonês.)

Atualmente residente em Porto Alegre, é palestrante da Universidade Falada e é professor da Unipaz e da Comunidade Zen Budista Águas da Compaixão, onde vem ministrando cursos e palestras regulares e colabora como palestrante especial no Sangaku Sesshin anualmente no período de Carnaval.

** A Universidade de Komazawa (駒澤大學, Komazawa Daigaku) é uma das universidades mais antigas do Japão, tendo sido fundada em 1592 como seminário para monges da escola Soto Zen. É uma das universidades budistas mais importantes do mundo.

Postar um comentário