domingo, 2 de janeiro de 2011

Meditadores Zen experientes podem “limpar” suas mentes das distrações.

ScienceDaily (03 de setembro de 2008) - http://www.sciencedaily.com/releases/2008/09/080902221741.htm

Varreduras do cérebro revelam que Treinamento Zen melhora as Velocidades de Retorno da atenção da Mente Depois de distração.



Meditadores Zen experientes podem “limpar” suas mentes das distrações mais rapidamente do que os novatos, segundo um novo estudo de imagens cerebrais.


Depois de ser interrompida por uma tarefa de reconhecimento de palavras, o cérebro dos meditadores experimentados “retornou” rapidamente à sua condição de pré-interrupção, comprovaram os pesquisadores da Emory University School of Medicine.

Giuseppe Pagnoni, PhD, professor adjunto da “Emory Psiquiatria e Ciências Comportamentais” e colaboradores utilizaram ressonância magnética funcional (fMRI) para examinar as mudanças no fluxo sanguíneo no cérebro quando as pessoas meditando foram interrompidos por estímulos projetado para imitar a aparência de pensamentos espontâneos .


O estudo comparou 12 pessoas da área de Atlanta, com mais de três anos de prática diária da meditação Zen com outras 12 pessoas que nunca tinham praticado meditação.


Apesar de ter seus cérebros escaneados, os sujeitos foram convidados a se concentrar na sua respiração. De vez em quando, eles tinham que distinguir uma palavra real de uma palavra nonsense apresentados em intervalos aleatórios na tela do computador e, depois de ter feito isso, imediatamente "deixa andar" do estímulo apenas processados, reorientando a sua respiração.


Os autores encontraram que as diferenças de atividade cerebral entre os meditadores experientes e novatos após a interrupção pode ser visto em um conjunto de áreas muitas vezes referida como a "rede de modo padrão." Estudos anteriores haviam ligado a rede de modo padrão, com a ocorrência de pensamentos espontâneos e mente vagar durante o repouso vigília.


Após a interrupção, meditadores experientes foram capazes de levar a atividade na maioria das regiões da rede de padrão de volta à linha de base mais rápido do que os não-meditadores. Este efeito foi especialmente proeminente no giro angular, uma região importante para o processamento de linguagem.


"Isto sugere que a prática regular da meditação pode melhorar a capacidade de limitar a influência dos pensamentos perturbadores. Esta habilidade pode ser importante em condições como déficit de atenção e hiperatividade, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno de ansiedade e depressão, caracterizada por excessiva ruminação ou de uma produção anormal de pensamentos em tarefas não relacionadas ", diz Pagnoni.





Referencia:


1.Pagnoni et al. “Thinking about Not-Thinking”: Neural Correlates of Conceptual Processing during Zen Meditation. PLoS ONE, 2008; 3 (9): e3083 DOI: 10.1371/journal.pone.0003083
Postar um comentário