sábado, 17 de setembro de 2011

Sindifars pressiona o governo a pagar as rescisões dos profissionais demitidos da FUGAST





09/09/11 - SINDIFARS


O Sindicato dos Farmacêuticos no Estado do Rio Grande do Sul (Sindifars) vem acompanhando, ao longo dos últimos meses, os problemas vivenciados pelos farmacêuticos que atuavam na Fundação Universitária de Gastroenterologia (FUGAST).


Realizamos algumas reuniões com os profissionais; participamos de ações na assembleia legislativa e ministério público do trabalho. Sempre com o foco de garantir a proteção e os direitos dos profissionais.






Em 15 de julho deste ano foi sancionada a Lei 13755 que prevê o pagamento pelo Estado do pagamento das verbas rescisórias devidas aos trabalhadores da FUGAST. Mas para isto, os trabalhadores terão que formalizar pedido de adesão.






A proposta de decreto, encaminhada aos sindicatos, trouxe mais uma vez discussão de pontos já superados quando sancionada a Lei.






No dia 06 de setembro, o Sindifars, acompanhado da Dra Raquel Paese, e demais sindicatos de trabalhadores compareceram à reunião no Galpão Crioulo do Palácio Piratini com o objetivo de reivindicar e garantir os direitos dos profissionais que durante anos atuaram pela FUGAST.






As reivindicações, entregues por escrito, centram-se na necessidade de apresentação do Governo de um calendário para efetuar os pagamentos e excluir a exigência para que os demitidos abram mão de ações judiciais para receberem as verbas rescisórias.






A reunião acabou com o compromisso do Governo de trazer respostas a estas demandas e de, no prazo de 10 dias, publicarem o decreto com as devidas alterações solicitadas pelo movimento sindical.






Concomitante a estas discussões, o Sindifars encaminhou solicitação para FUGAST que apresente os termos de rescisão para que possamos apreciar os cálculos, previamente, garantindo o recebimento dos direitos aos farmacêuticos.






Solicitamos que os profissionais farmacêuticos que atuaram na FUGAST mantenham seus dados atualizados junto ao Sindifars, para que possamos fazer contatos imediatos, quando for necessário.


A DIRETORIA do Sindifars
Postar um comentário