terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Vacina câncer de pulmão



Beneficiados cubanos com vacina câncer de pulmão

Uns dois mil pacientes cubanos foram beneficiados com a vacina terapêutica CIMAVax-EGF para câncer avançado de pulmão, desenvolvida pelo Centro de Imunologia Molecular.

Único de seu tipo no mundo para essa patologia, o fármaco tem sido aplicado durante os dois últimos anos nos serviços de atendimento primário com resultados satisfatórios.

Em recente depoimento a Prensa Latina, a especialista em Medicina Interna Zoraida Acosta Brook explicou que os resultados em ensaios clínicos evidenciam que o composto parece ser uma boa opção para os pacientes afetados com essa doença.

A pesquisadora, quem participou nos ensaios fase II e III realizados a doentes cubanos em etapas avançadas, destacou que o medicamento propicia uma maior sobrevida (até 48 meses) e qualidade de vida das pessoas tratadas.

CIMAvax-EGF se aplicará não só a pessoas com este tipo de neoplasia em etapas avançadas, também a pacientes em atendimento primário de saúde que não responderam à primeira linha de tratamento, ou pessoas não tributárias de receber terapia oncológica. Também se incluirá em pacientes em adyuvancia junto com a cirurgia, isto é, em estádiorápidos da afecção, esclareceu.

O composto, que provoca uma resposta imune e não tem efeitos secundários severos, está composto por duas proteínas, fator de crescimento epidérmico, e P-64 K, da membrana, ambas obtidas por via recombinante. É único no mundo e está registrado em Cuba e Peru.



A primeira vacinaterapêutica contra o câncer de pulmão, criada por cientistas cubanos, será aplicada “em poucos dias” a um grupo de pacientes britânicos, anunciou um executivo encarreghado de sua distribuição na Europa. A informação foi divulgada pela agência francesa de notícias France Press (AFP), neste sábado.

– Um novo estudo clínico com a vacina terapêutica cubana contra o câncer de pulmão (Cimavax-EFG) começara dentro de poucos dias num grupo de pacientes do Reino Unido – disse o diretor científico do grupo farmacêutico Bioven, o belga Erik Dâ’Hondt, que não precisou o número de enfermos.

Dâ’Hondt destacou que Bioven “favorece as investigações com o produto em outras nações da Europa” e na “Austrália, Tailândia e Malásia”, de acordo com a agência cubana Prensa Latina. A vacina, criada por especialistas do Centro de Imunologia Molecular (CIM), uma das instituições do Polo Científico do oeste de Havana, foi registrada na Ilha em janeiro depois de se provar sua eficiência em mais de mil pacientes, sem q eu se produzissem efeitos adversos severos.

O produto, primeiro de seu tipo no mundo, “demonstrou benefícios quanto a maior expectativa e qualidade de vida das pessoas tratadas” e “os especialistas cubanos estão muito entusiasmados com os resultados obtidos”, explicou a investigadora do CIM, Zoraida Acosta. A cientista precisou que o Cimavax-EFG, composta por duas proteínas: fator de crescimento epidérmico e a P-64k, também registrada no Peru, “se aplicará não somente em pessoas com câncer de pulmão em etapas avançadas como também naqueles em estágio intermediário.”

Os especialistas do CIM sustentam que o objetivo da vacina é coverter o câncer de pulmão avançado em um tipo de enfermidade que não avance, embora não curável, e avaliam seu uso em outros tumores como os de próstata, útero e mama.

Postar um comentário