sábado, 25 de maio de 2013

42 coisa para saber sobre '"Guia do Mochileiro das Galáxias'"

Fontes Wikipédia e Robert Valdes  (traduzido por HowStuffWorks Brasil)


Em 4 de fevereiro de 1977, o criador Douglas Adams se encontrou com o produtor da BBC, Simon Brett que, na época, estava fazendo o The Burkiss Way, da BBC Radio 4. Após o encontro, Brett concordou em ajudar Adams a montar um programa de rádio, uma comédia de ficção científica, para a BBC. Esse foi o nascimento do "The Hitchhiker's Guide to the Galaxy" (no Brasil O Guia do Mochileiro das Galáxias) a série de ficção científica cômica criada por Douglas Adams, originalmente era transmitida na "BBC Radio 4" foi mais tarde adaptada para outros formatos, e após vários anos se tornou um fenômeno internacional.

O título se refere ao nome de um fictício e excêntrico "guia de viagens eletrônico", O Guia do Mochileiro das Galáxias. A série também é muitas vezes referida como "O Guia do Mochileiro", "Mochileiro", ou simplesmente "[O] Guia". Este título pode se referir a qualquer uma das várias encarnações da história de que os livros são os mais amplamente distribuídos, tendo sido traduzido em mais de 30 línguas até 2005.


42, a resposta para a pergunta fundamental sobre a vida, o universo e tudo mais.



As várias versões seguem praticamente o mesmo enredo básico; contudo, uma vez que Adams reescreveu a história substancialmente para cada nova adaptação, os personagens muitas vezes estão em lugares mutuamente contraditórios. Ao longo de todas as versões, a série segue as aventuras de vários personagens, como Arthur Dent, um inglês azarado, Ford Prefect, um alienígena de um planeta pequeno em algum lugar nos arredores de Betelgeuse e um investigador/autor para o guia de mesmo nome, Zaphod Beeblebrox, o semi-primo Ford e o Presidente Galáctico, o deprimido robô Marvin, o Andróide Paranóide, e Trillian, anteriormente conhecida como Tricia McMillan, uma mulher que Arthur conhecera em uma festa em Islington.

De acordo com o próprio autor, o Guia era uma trilogia de 4 partes, formada pelos seguintes livros:
Existe ainda um último volume Mostly Harmless (no Brasil Praticamente inofensiva) que, apesar de certa controvérsia, é considerado por muitos parte da "Trilogia de 5 livros" de Douglas Adams. Os 4 primeiros foram lançados originalmente no Brasil pela Editora Brasiliense. Posteriormente, foram traduzidos novamente e relançados em 2004 pela Editora Sextante depois da estreia do filme.A continuidade da obra de Douglas Adams, And Another Thing... foi escrita por Eoin Colfer, autor da série Artemis Fowl, e foi publicada com autorização dos herdeiros de Douglas Adams, pois o mesmo faleceu em 2001.

O filme O Guia do Mochileiro das Galáxias é o mais recente ingrediente em um imenso amontoado de gosto épico estranho, nerd e contagiante. Ao longo de sua história, O Guia do Mochileiro assumiu a forma de programa de rádio, "trilogia" de cinco livros; séries de TV, peça de teatro e videogame. Nesse caminho, ele foi associado a Darth Vader, chifres dos Caça-Fantasmas, ensaios musicais com Pink Floyd e Radiohead, e colocou seu selo em um asteróide, entre outras muitas coisas.




42 coisa para saber sobre

1. A idéia inicial para O Guia do Mochileiro das Galáxias veio à mente de Douglas Adams enquanto ele estava deitado em um campo, bêbado, segurando uma cópia do Guia do Mochileiro para a Europa, olhando para o céu, à noite.

2. O conceito original de Adams foi chamado de O Fim da Terra. A idéia era que no final de cada programa, a Terra fosse destruída de uma forma nova e interessante.

3. À medida que a história se desenvolveu, Adams criou o personagem alienígena Ford Prefect. Prefect, um escritor para um guia de viagem galáctica, servia para proporcionar contexto para o público e uma perspectiva não-terráquia desassociada. Posteriormente, Adams retrabalhou o conceito para se concentrar nesse guia.

4. O nome do personagem principal foi mudado de Aleric B para Arthur Dent durante uma corrida de táxi para o encontro na BBC sobre a montagem do programa de rádio.

5. O primeiro episódio foi veiculado na BBC Radio 4 na quarta-feira, 8 de março de 1978, às 22h30. A primeira séria continha seis episódios aos quais a equipe de produção do programa se referia como "fits".

6. Uma versão de áudio do Guia do Mochileiro foi lançada em vinil em 1979. Essa foi uma versão condensada dos quatro primeiros episódios do rádio. Por razões legais, essa foi uma gravação completamente diferente da gravação transmitida pela BBC no rádio. A música usada nas transmissões de rádio não podia ser distribuída comercialmente sem o pagamento de taxas de licenciamento.

7. A série do rádio O Guia do Mochileiro das Galáxias foi muito elogiada por seus efeitos sonoros pioneiros. Adams era fascinado por dar ao som do programa o mesmo valor de produção de um álbum de rock moderno. A séria do Mochileiro foi o primeiro programa de rádio no estilo comédia da BBC a ser transmitido em estéreo.

8. A série do rádio rendeu a Adams a aclamação da crítica. Em 1978, Adams ganhou o Prêmio Imperial Tobacco. Ele recebeu o Prêmio Sony em 1979 e o Prêmio Society of Authors/Pye de "Melhor Programa para Jovens" em 1980. A série de rádio do Mochileiro também foi a único programa de rádio a ser indicado para o Prêmio Science Fiction Achievement Award ™, também conhecido como Hugo Award®.

9. Marvin, o Andróide Paranóide, foi originalmente escrito para aparecer apenas uma vez na série do rádio. Mas depois de sua estréia, Marvin se tornou um favorito instantâneo dos fãs. O produtor do programa na época, Geoffrey Perkins, incentivou Adams a desenvolver Marvin em um dos principais personagens da série.

10. Em setembro de 2004, a BBC veiculou os novos episódios da Tertiary Phase do Guia do Mochileiros das Galáxias na BBC Radio 4. Antes de sua morte, Adams começou a trabalhar com Dirk Maggs para adaptar os livros três a cinco da "trilogia" para a transmissão de rádio. Após a morte de Adams, Maggs usou as anotações dele para terminar de escrever e dirigir os últimos dois segmentos da série, intitulados Quandary Phase e Quintessential Phase. As duas novas fases foram veiculadas na BBC no final de 2005 e fecharam o ciclo da história.

11. Na transmissão da BBC da Tertiary Phase, Douglas Adams retrata postumamente o irado personagem Agrajag que odeia Arthur-Dent. Maggs fez isso editando gravações da leitura de Adams de seus livros. 

12. O livro, O Guia do Mochileiro das Galáxias foi publicado na Inglaterra em setembro de 1979. Ele foi uma versão ampliada dos primeiros quatro episódios do rádio. O livro permaneceu várias semanas no lista dos mais vendidos do Sunday Times. Como Adams estourou vários prazos enquanto escrevia o primeiro livro, os editores acabaram ligando para ele para pedir que ele simplesmente terminasse a página que estava escrevendo. E eles imediatamente enviaram um mensageiro de bicicleta para pegar o manuscrito. É por isso que o primeiro livro termina tão abruptamente.

13. No outono de 1980, o segundo livro, O Restaurante no Final do Universo, chegou às prateleiras. Nessa mesma época o primeiro livro foi lançado nos Estados Unidos. O livro era uma versão condensada e fora de ordem dos episódios sete, oito, nove, dez, onze, doze, cinco e seis do programa de rádio.

14. O terceiro livro, A Vida, o Universo e Tudo Mais, foi lançado em 1982. A história começa a assumir um lado mais obscuro nesse livro e a levar o enredo para além do que foi abordado na série do rádio.

15. O quarto livro da trilogia, Adeus e Obrigado por Todos os Peixes, foi lançado em 1984. Ele lidava com um novo tema para a série: o amor.

16. O livro final, Praticamente Inofensiva, é de 1992. Ele encerra a história da série com a destruição da Terra (novamente). 

17. Em 1984, Douglas Adams se tornou o autor mais jovem a receber um Prêmio Golden Pan da Pan Books, a editora inglesa da série do livro. Posteriormente ele também foi indicado para o primeiro prêmio Melhor Novelista Jovem Britânico. 
 
18. No episódio posterior da série de TV, o alto guarda-costas que mantém Ford longe da estrela de rock galáctico Hotblack Desiato não é ninguém menos que Dave Prowse: o ator que interpretou Darth Vader nos filmes originais de Guerra nas Estrelas. Inicialmente, os produtores do Mochileiro queriam o ator que retratou os aspectos flácidos, irritantes e ligeiramente afeminados da personalidade de Darth Vader, mas Hayden Christensen não estava disponível.

19. Os gráficos computadorizados do programa de TV foram criados por Rod Lord nos Estúdios Pearce. Esses visuais foram inovadores para a época e atraíram muita atenção para o programa. O mais engraçado é que esses efeitos, de fato, não foram gerados por computador. Lord criou esses efeitos animando desenhos traçados reversamente sobre acetato. Ele usou géis luminosos (do tipo usado na iluminação da produção) para criar as cores para as seqüências. 

20. O filme foi considerado pela primeira vez em 1982 pelos produtores Ivan Reitman, Joe Medjuck e Michael C. Gross. Douglas Adams escreveu três versões diferentes do roteiro para a equipe de produção. Reitman e companhia pretendiam que a comédia de ficção científica fosse um veículo para Bill Murray ou Dan Aykroyd. Naquela época, ambos os atores foram considerados para o papel de Ford Prefect.

21. Em 1997, após anos de interesse periódico no projeto, Adams finalmente assinou um acordo com a Disney para realizar o filme. Adams começou a trabalhar em uma nova versão do roteiro e a Disney colocou Jay Roach (Austin Powers) na cadeira de diretor. 

22. Para acrescentar força ao filme, a Disney originalmente cortejou Hugh Laurie (Stuart Little) para o papel de Arthur, Jim Carrey (Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças) para representar Zaphod Beeblbrox e Nigel Hawthorn (Amistad) para o papel de Slartibartfast.

23. Jay Roach acabou voltando atrás quanto ao projeto. Desejando que o filme ficasse em boas mãos, ele levou o projeto para Spike Jonze. Jonze também passou o filme adiante, mas sugeriu a equipe de direção de Hammer and Tongs: Nick Goldsmith e Garth Jennings. A dupla, conhecida principalmente por vídeos de música, aceitou e o projeto foi iniciado.

24. O próprio Adams escreveu o versão mais recente do roteiro, mas Garth Jennings e Karey Kirkpatrick revisaram o roteiro após a morte de Adams.

25. Adams criou o personagem de John Malkovich, um líder religioso chamado Humma Kavula, especialmente para o filme.

26. Simon Jones, que representou Arthur Dent em ambas as versões do rádio e da TV de O Guia do Mochileiro das Galáxias, tinha um camafeu no filme. Jones era um amigo de longa data de Douglas Adams.

27. O Marvin, o Andróide Paranóide original da minissérie da TV aparece no filme como um robô diferente. 

28. O jogo de computador O Guia do Mochileiro surgiu em 1984, e foi amplamente aclamado. Ele era uma aventura baseada em texto que o próprio Douglas co-pojetou com Steve Meretzky. Ele era acompanhado por óculos JooJanta "sensíves-ao-perigo", e uma frota de batalha em miniatura. Esse jogo era bastante avançado para aqueles dias e quase impossível de acabar. Você ainda pode jogá-lo online aqui (site em inglês).
29. O Guia do Mochileiro das Galáxias foi levado aos palcos por Ken Cambell. A primeira produção ocorreu no Instituto de Artes Contemporâneas em maio de 1979. A primeira exibição obteve grande sucesso e acomodou o público em um enorme hovercraft.
Posteriormente, Ken Campbell levou aos palcos uma versão ainda mais exagerada de sua produção original apresentando lasers, palcos giratórios, e um teatro remodelado para se parecer como um aeroporto espacial. A equipe promoveu a produção atirando uma imensa baleia inflável da Ponte da Torre de Londres. Apesar do marketing único, a produção foi um grande fracasso.

30. No universo do Guia do Mochileiro, o peixe Babel é um pequeno peixe parasita que os viajantes colocam em seus ouvidos. Depois de colocá-lo, o peixe automaticamente traduz qualquer idioma da galáxia para a língua nativa do hospedeiro. O tradutor online da Altavista foi nomeado Babel Fish após a pequena criatura criada por Douglas. Veja isso.

31. O programa de mensagens instantâneas Trillian (site em inglês) recebeu esse nome devido ao nome da heroína do Mochileiro.


32. Se você digitar, "qual é a resposta para a vida, o universo e tudo mais?" (tudo em letra minúscula) na calculadora do Google, você terá a resposta, "42" (a mesma resposta fornecida no Guia do Mochileiro das Galáxias). Tente isso (site em inglês) e você terá de rolar para baixo da página para acessar a calculadora.

33. A música Radiohead, Paranoid Android, é uma referência a Marvin, o Andróide Paranóide.

34. Um dos mais populares fóruns de mensagens na Internet é o GameFAQs da Vida, o Universo e Tudo Mais. Ele foi batizado após o terceiro livro da série O Mochileiro.

35. Christopher Cerf, o homem por trás da série da PBS Kids Between the Lions, admite que o "42" no uniforme de rugby do personagem Lionel é uma homenagem deliberada a Douglas Adams e sua criação.

36. Towlie, de South Parks sempre diz, "não se esqueça de trazer uma toalha", uma óbvia alusão ao sadio conselho do Guia.

37. O antigo jogo FPS GoldenEye: 007 para Nintendo 64 apresentava o prêmio para multiplayer chamado "Praticamente Inofensiva" para o jogador que obtivesse menos mortes em uma partida. No Guia, "Praticamente Inofensiva" é a entrada modificada usada para descrever a Terra.


38. O jogo infantil online Neopets apresenta um item chamado de Pan Galactic Gargle Slushie. Esta é a versão infantil do Pan Galactic Gargle Blaster do Mochileiro. De acordo com o guia, o Gargle Blaster é uma das melhores (e mais perigosas) bebidas de adultos nesta ou em qualquer outra galáxia.

39. O vilão do videogame Dippy e o ovo de Páscoa recorrente, o Dopefish, são amplamente conhecidos no mundo dos videogames como "a segunda criatura mais burra do universo". Quando Tom Hall originalmente criou o Dopefish para o quarto episódio da série Commander Keen, ele fez referência a ele como o "segundo mais burro" porque como todo bom leitor do Guia sabe, a criatura mais burra do universo é o Faminto Bugblatter, A Besta de Traal.

40. No seu 42o aniversário, Adams tocou violão para Pink Floyd em um concerto. A apresentação pública foi um presente de aniversário de seu velho amigo Dave Gilmour. Por volta da mesma época, David Gilmour do Pink Floyd pediu a Douglas Adams para ajudá-lo a batizar um álbum do Pink Floyd no qual estava trabalhando na época. Ele ajudou e, em 1994, Pink Floyd lançou The Division Bell. Para agradecer Adams, Gilmour contribuiu com US5 mil libras para a instituição de caridade favorita de Adam.

41. Um dia antes da morte de Adams, The Minor Planet Centre, da União Astronômica Internacional (site em inglês), nomeou o asteróide 18610 de "Arthurdent" (site em inglês) devido ao personagem principal na série O Guia do Mochileiro das Galáxias, Arthur Dent.

42. Existem exatamente 41 fatos interessantes sobre O Guia do Mochileiro das Galáxias. Nem mais, nem menos.
Postar um comentário