sexta-feira, 11 de março de 2011

TERCEIRA TRAIÇÃO DO SECRETARIO CASARTELLI: Funcionários da Fugast deixam o Presidente Vargas



Do site da prefeitura 11/03/2011 17:05:46

Foto: Aline Vaz/PMPA
Nosso foco agora será capacitar os novos trabalhadores, diz Casartelli
Nosso foco agora será capacitar os novos trabalhadores, diz Casartelli
Após a confirmação do afastamento dos funcionários da Fundação Riograndense Universitária de Gastroenterologia (Fugast), o secretário municipal de Saúde, Carlos Henrique Casartelli, divulgou que desde quinta-feira, 10, mais de 60 funcionários já se apresentaram para assumir os cargos no Hospital Materno-Infantil Presidente Vargas. 

Casartelli afirmou que não vê mais possibilidade de negociação para a manutenção dos servidores, uma vez que a direção da fundação nega a possibilidade de prorrogar os contratos. Lamenta a saída dos servidores, mas salienta que todas as medidas para evitar a descontinuidade do atendimento foram tomadas pela prefeitura.


"A partir de agora, nosso foco será capacitar, treinar e preparar os novos trabalhadores para atender a nossa demanda cada vez melhor. Temos que cumprir a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF), que entendeu como ilegal o contrato celebrado com a Fugast e determinou a extinção do convênio entre a Secretaria de Saúde do Estado e os profissionais, que não prestaram concurso público", destacou.


O secretário anunciou ainda que 187 profissionais foram nomeados através de concurso público. Além disso, a prefeitura contratará 142 servidores em caráter emergencial para um período de 120 dias, que pode ser ampliado para mais quatro meses. Para o secretário,o ideal seria uma transição de 90 a 120 dias.


A segunda audiência de conciliação entre Ministério Público Estadual, Fugast, secretarias municipal e estadual da Saúde e Procuradoria-Geral do Estado foi conduzida pela juíza de Direito Andréia Terre do Amaral, da 1ª Vara da Fazenda Pública do Fórum Central.


/saude



Agora é torcer que os funcionários demitidos tenham seus direitos preservados e recebam CORRETAMENTE as suas recisões.

Como tem sido visto MANTER A CORREÇÃO NÃO É O FORTE DESTE CASO.

Promessas sem serem cumpridas sobram.

Nesta segunda audiência de conciliação o representante da FUGAST insinuou que a sua empresa NÃO TEM DINHEIRO PARA PAGAR AS RECISÕES...


VEJAMOS!

Postar um comentário