sábado, 16 de abril de 2011

Trabalhadores demitidos exigem respeito do Estado, União e Fugast - O PRAZO ESTA ACABANDO


Sindisprev 15/04/2011 00:03:33

Trabalhadores de pelo menos duas décadas em hospitais, postos de saúde e outras instituições do Estado e município de Porto Alegre, os funcionários demitidos da Fugast no dia 08 de março ainda não receberam os valores de suas rescisões, Fundo de Garantia por Tempo de Serviço e Seguro Desemprego. 


Há mais de um mês, trabalhadores que abdicaram do convívio da família por conta de plantões, finais de semana e feriados, ao menos têm direitos respeitados e garantidos pela constituição federal.

 
Uma liminar da 23ª Vara da Justiça do Trabalho no início da semana bloqueou, liminarmente, créditos da Fugast para que R$ 1,5 milhão em verbas rescisórias sejam pagas a 70 médicos demitidos da Fugast. Mesmo que em caráter liminar, a Justiça dá indícios de que os trabalhadores, independente da categoria, têm de ter os direitos garantidos. Agora, assim como vem sendo no último mês, o Sindisprev-RS exige no Ministério do Trabalho, junto ao governo estadual e à Fugast o cumprimento de suas obrigações para todos os ex-funcionários - enfermeiros, técnicos em enfermagem, administrativos e tantas outras categorias que buscaram, incansavelmente, o atendimento humano aos seus pacientes e população gaúcha.

 
O Estado, conforme o Ministério Público do Trabalho, tem até a próxima semana para manifestar-se sobre o cronograma de pagamento de suas obrigações. Da mesma forma, a Fugast. O ministério do Trabalho, por sua vez, tem de agilizar o pagamento do Seguro Desemprego. Abaixo, o relato de uma trabalhadora.

 
"Viramos criminosos e o nosso crime é ter trabalhado todos estes em média 15-20 anos em defesa a saúde pública a favor de um Estado que nos vira as costas, E nós é que temos que pagar, pelo erro de um passado obscuro entre Fugast e Governo do Estado Todos vcs estão confortáveis com o e que está acontecendo? 

 
Será que um ato de desespero será necessário alguém ter que ir preso, talvez ao invadir o palácio ou atos onde envolvam o governo para chamar a atenção.....Ou até mesmo aguardar a sua morte talvez por um infarto fulminante devido ao estresse causado por toda esta situação criada pelos únicos irresponsáveis Governo do Estado do RGS , PMPOA, FUGAST, HPV".

Postar um comentário