segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Mulher espera três dias e viaja 7 horas para fazer parto no RS

Grávida foi internada na quinta-feira e aguardou leito até domingo.

Mãe e filhos gêmeos estão na UTI; prefeitura diz que dará apoio à família.

Do G1, em São Paulo
1 comentário
Uma mulher de 34 anos está internada na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do Hospital Municipal de Novo Hamburgo, no Rio Grande do Sul, após ter de esperar três dias e ter de viajar 534 quilômetros para realizar o parto de gêmeos, segundo a assessoria de imprensa do hospital.

Os bebês, dois meninos, nasceram prematuros de sete meses após a mãe fazer o deslocamento de 7 horas de ambulância após o rompimento da bolsa. Eles estão na UTI neonatal do hospital e o estado deles inspira cuidados.

Conforme o hospital, a mulher mora em Santa Vitória do Palmar, no sul do Rio Grande do Sul, e procurou uma unidade de atendimento na cidade na quinta-feira (20), quando a bolsa se rompeu. Desde então, a mulher aguardava uma vaga na rede pública, que só foi disponibilizada no domingo (23), em Novo Hamburgo, diz hospital.

A paciente foi levada de ambulância para Novo Hamburgo, onde deu entrada no hospital municipal às 17h30 e o parto foi realizado. A assessoria do hospital de Novo Hamburgo diz desconhecer o motivo da demora e que, depois que a mãe deu entrada na unidade, recebeu todos os cuidados necessários.

O prefeito de Santa Vitória do Palmar, Eduardo Morrone, informou que a prefeitura possui convênio com a Santa Casa municipal e que, em casos graves em que o município não consegue prestar atendimento imediato, são solicitadas vagas nas cidades mais próximas, de Pelotas e Rio Grande. Ele defende a ideia de um acordo para que a população seja atendida no Uruguai, país cuja cidade faz fronteira e que seria mais próximo em casos de gravidade.

Morrone confirmou que a grávida foi internada na cidade na quinta-feira e disse que só foi informado da gravidade do caso no domingo. A prefeitura informou que dará todo o apoio e solidariedade à família.

A Secretaria Estadual de Saúde informou que apura o fato e que retornaria com mais dados sobre o caso.
Postar um comentário