terça-feira, 22 de maio de 2012

Como sentar em zazen e praticar meditação

Como sentar em zazen ~ baseado no "Fukanzazengi" de Mestre Dogen.

Em geral, qualquer sala silenciosa é boa para a prática do zen. 
Approach the cushion

Para fazer zazen, é desejável um local tranqüilo. As roupas devem ser folgadas, mas bem arrumadas. 
Devemos ser moderados no comer e no beber antes da prática. 
Por um momento ponha de lado todos os envolvimentos externos, abandonando todas as relações deludidas. Deixando tudo de lado, não pensemos nem no bem, nem no mal, nem no certo, nem no errado. Assim, tendo cessado a agitação da mente, abandonamos até mesmo a ideia de nos tornar Buda. 
Isto é verdadeiro não só para o zazen, mas para todas as nossas ações cotidianas, sem apego ao sentar ou ao deitar.
Geralmente, colocamos um  "zabuton", um acolchoado ou mesmo um cobertor dobrado em quadrado no chão, onde vamos sentar, e sobre ele uma almofada redonda. O Zafú.
Aproxime-se da almofada e mantenha suas mãos em gasshô (palmas juntas).

Comprimente, em gasshô, a parede e a almofada;
Bow to cushion
Comprimente a sala;
Bow Away 
Sente-se de costas para a parede;
rotate
Gire no sentido horário sobre a almofada até ficar de frente para a parede;
fix legs full lotus
Podemos sentar na posição de lótus ou na de meio lótus. Na primeira, colocamos o pé direito sobre a coxa esquerda, e em seguida o pé esquerdo sobre a coxa direita. Na segunda, apenas colocamos o pé esquerdo sobre a coxa direita.
Em seguida, colocamos o dorso da mão direita sobre o pé esquerdo e o dorso da mão esquerda sobre a palma direita, com as pontas dos polegares se tocando levemente.
Cosmic Mudra




Devemos nos sentar perfeitamente eretos, nem inclinados à direita, nem à esquerda, nem para frente, nem para trás. As orelhas devem estar alinhadas com os ombros e o nariz alinhado com o umbigo. A ponta da língua deve ser colocada no palato, os lábios e dentes devem ficar fechados. Mantendo os olhos entreabertos, respiramos suavemente pelas narinas. Finalmente, tendo regulado o corpo e a mente fazemos uma respiração profunda, movendo nosso corpo para a esquerda e para a direita e então, devemos ficar imóveis, sentados tão firmes quanto uma rocha.

sway

Toca-se o sino.

O sino é tocado como sinal para marcar o início e o fim das sessões de Zazen e Kin'hin:
quando o Zazen começa, o sino é tocado três vezes (shijosho).

 Deixando os pensamentos transcorrerem livremente e a respiração relaxada. Observa-se a mente operando até ela se render. Conte as suas respirações. De "um" a "dez".

"Siga sua respiração", contando cada ciclo de inspiração e expiração, até chegar a dez. 

Então o ciclo recomeça.

Enquanto isso, sua única tarefa é manter uma mente relaxada, aberta, atenta mas sem tensão, e estar presente no "agora" do momento, sem se deixar levar por pensamentos ou ruminações. Quando isso acontece, se for interrompido por pensamentos ou idéias volte a se concentrar na contagem da respiração.

Lembre que NÃO é uma maratona.

Não se concentre sobre qualquer objeto específico, nem tente controlar seus pensamentos.

Mantendo a postura e respiração corretas, sua mente se tranqüilizará naturalmente. Quando os vários pensamentos surgirem, não tente agarrá-los ou empurrá-los; deixe-os ir livremente. O mais importante é despertar (kakusoku) da distração e da fixação, da sonolência e do pensamento, retornando à postura correta, momento a momento.

full posture
Existe o pensar, existe o não pensar e existe o inconcebível. 

Esta é a verdadeira base do zazen.

Zazen não é meditação passo a passo. 

É o portal do Darma da agradável tranqüilidade, é a prática e a realização da Iluminação, é tornar‐se o "koan". 

A verdade aparece, não mais havendo delusão.

Se compreendermos isto, estaremos completamente livres, como um dragão na água, ou um tigre recostado na montanha.

O Darma Correto surge naturalmente e ficamos completamente livres de todo cansaço e confusão.


Quando o Zazen termina, o sino é tocado uma vez (hozensho).  Ao final do Zazen, faça uma reverência em gasshô. Balance o corpo levemente para os lados, desdobre as pernas cuidadosamente e se levante, sem movimentos abruptos. 

seated bow

Arrume a almofada com zelo.
fluff cushion
Ao terminarmos o zazen, devemos mover o corpo devagar e nos levantar com calma.

Pela virtude do zazen, é possível transcender a diferença entre o comum e o sagrado e obter a capacidade de morrer sentado ou de pé.

bow away

Levante-se e curve mais uma vez em direção e para longe da almofada (sempre girando no sentido horário).


O Kin'hin. Quando o Kin'hin começa, o sino é tocado duas vezes (kin'hinsho); 

kinhin


Caminhe em  "kin'hin" (caminhada em zazen, ou  meditação andando) siga lentamente pisando como se os pés beijassem o chão, vire à esquerda e prociga a caminhar lentamente.


Kinhin hands


Colocando-se o punho direito, com o polegar para dentro, contra o peito e cobrindo-o com a palma da mão esquerda mantendo ambos os cotovelos em ângulos retos. Conservem os braços em linha reta e o corpo ereto, com os olhos fixos num ponto a mais ou menos dois metros adiante dos pés. Ao mesmo tempo continuem usando o mesmo método de concentração usado no Zazen (por exemplo contar as inspirações e expirações), enquanto andam lentamente em volta da sala. 


Comecem a andar com o pé esquerdo e vão andando de tal forma que o pé pouse no chão, primeiro o calcanhar depois os dedos.
Kinhin feet 

Andem calmamente e com segurança, com equilíbrio e dignidade. Este caminhar não pode ser feito com distração, e a mente deve estar atenta enquanto vocês se concentram na contagem. 

É recomendável praticar esta forma de andar pelo menos por cinco minutos depois de cada período de sentar-se.

Deve-se considerar. este caminhar como uma forma de zazen em movimento.
Kin'hin deve durar uns 5 minutos apenas. Quando o Kin'hin termina, o sino é tocado uma vez (chukaisho);

Ao final do Kin'hin, faça uma reverência com as mãos em shashu e caminhe lentamente até o seu assento.


Termine com uma leitura em vós alta de um texto apropriado. Sugiro o "Sutra da Perfeição da Sabedoria completa" ou "Sutra do Coração" (em sânscrito: Prajñā Pāramitā Hridaya Sūtra):



SUTRA DO CORAÇÃO DA GRANDE SABEDORIA COMPLETA*

(MAKA HANNYA HARAMITA SHIN GYO)

Quando Bodhisattva Avalokitesvara praticava profundamente o Prajna Paramitta claramente observou o vazio de todos os cinco agregados, 
assim libertou-se de todas as tristezas e sofrimentos.
Ó Shariputra, forma não é nada mais do que vazio, 
vazio não é nada mais do que forma. 
Forma é exatamente vazio, 
vazio é exatamente forma.

Sensação,
 Conceituação,
 Diferenciação e
 Consciência
Assim também o são.

Ó Shariputra, todos os fenômenos são vazio-forma,
 não aparecem e nem desaparecem,
 não são impuros e nem puros, 
sem perdas e sem acréscimos.

Assim é tudo dentro vazio.
Sem forma, 
sem sensações,
 conceituação,
 diferenciação e
 consciência; 

Não há olhos, 
ouvidos, 
nariz, 
língua, 
corpo 
e mente; 

Não há cor, 
som, 
cheiro, 
sabor, 
tato, 
fenômeno;

sem o mundo da visão, 
sem o mundo da consciência,
sem ignorância 
e sem fim à ignorância;

sem velhice, 
sem morte
e sem o fim da velhice 
e da morte;

sem sofrimento, 
sem causa do sofrimento, 
sem a sua extinção 
e sem objetivo;

sem sabedoria 
e sem ganho;

sem nenhum ganho.

Bodhisattva devido o Prajna Paramitta,
Coração - Mente sem obstáculos;
Livre de Obstáculos, logo sem medo.
Para além de toda ilusão, 
Isto é Nirvana. 
Todos os Budas dos Três Mundos
passado, 
presente 
e futuro 
depois de realizarem Prajna Paramitta. * 
Alcançaram 
Anokutara San Myako San Bodai
(a completa e perfeita Iluminação)
Portanto saiba que o Mantra Prajna Paramita 
é o grande mantra da transcendência, 
O grande mantra da iluminação, 
O mantra sem limite,
O supremo mantra
com capacidade de remover todo o sofrimento.
Visto que não é falso,
deve ser conhecido como a verdade 
Assim pratique o Mantra Prajna Paramita.



Pratique e proclame:

*Gyate! 
Gyate!
Hara gyate!
 Hara so gyate!
Bodhi sowa ka!

Sutra do Coração da Grande Sabedoria Completa.




*Siga, Siga, vá além, vá bem além da outra margem.





Fotos: de Svetlana Dekic e modelo LizaRose.

Orientações formais:

Postar um comentário