segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Uma sugestão: Não busque o Budismo.


" Algumas pessoas envolvem-se com o Dharma devido a qualquer razão cármica que as tornam curiosas e interessadas, assim que esse interesse seja movido por alguma circunstância. Mas algumas interessam-se pelo Dharma por razões instáveis, baseadas num ego inchado. Existem três formas comuns dessa síndrome. Pensando em nós como um “eu” encontrável e verdadeiramente existente, podemo-nos virar para o Dharma:

    para sermos aceitos por um certo grupo de amigos porque o budismo está na moda e várias estrelas do cinema e do rock seguem o Dharma;

    para encontrarmos uma cura milagrosa para algum profundo problema emocional ou físico que nenhuma outra solução ajudou; ou

    para satisfazermos o nosso interesse pelo exótico.

Em geral, para evitar os perigos que porventura advenham do nosso envolvimento com o Dharma por qualquer dessas razões, precisamos de examinar e corrigir a nossa motivação." - Ven. Alexander Berzin
Postado no Facebook pelo "Budismo Para Todos"


‎" Algumas pessoas envolvem-se com o Dharma devido a qualquer razão cármica que as tornam curiosas e interessadas, assim que esse interesse seja movido por alguma circunstância.

Mas algumas interessam-se pelo Dharma por razões instáveis, baseadas num ego inchado. Existem três formas comuns dessa síndrome. Pensando em nós como um “eu” encontrável e verdadeiramente existente, podemo-nos virar para o
 Dharma:

º Para sermos aceitos por um certo grupo de amigos porque o budismo está na moda e várias estrelas do cinema e do rock seguem o Dharma; 
º Para encontrarmos uma cura milagrosa para algum profundo problema emocional ou físico que nenhuma outra solução ajudou ou 
º Para satisfazermos o nosso interesse pelo exótico.

Em geral, para evitar os perigos que porventura advenham do nosso envolvimento com o Dharma por qualquer dessas razões, precisamos de examinar e corrigir a nossa motivação." - 

Venerável Dr. Alexander Berzin(*).



* Alexander Berzin, pesquisador das tradições tibetanas e tradutor oficial Do Dalai Lama. Membro fundador do Departamento de Tradução da Biblioteca de Obras e Arquivos Tibetanos, Berzin desenvolveu, para a língua inglesa, uma nova terminologia para a tradução dos termos técnicos tibetanos frequentemente mal entendidos.
Postar um comentário