sexta-feira, 18 de novembro de 2011

Uma mensagem para nós, os budistas de internet escrita a 777 anos:


A grandeza do Dharma de Buda se revela de acordo com o esforço e a prática realizados.
Aqueles que se dedicarem apenas ao estudo dos sutras, assim como aqueles versados em estudos seculares, deveriam visitar um mosteiro Zen. Há muitos exemplos dos que assim o fizeram. Hui-ssü[7] do monte Nan-Yueh era um homem de muitos talentos e ainda assim se submeteu ao treinamento de Bodidarma. Hsüam-chüeh[8] do monte Yung-chia era o mais fino dos homens e, assim mesmo treinou com Ta-chien (Hui-nêng). O esclarecimento do Darma e a realização do Caminho dependem da força adquirida com o treinamento sob a orientação de mestres Zen.
Ao visitar um mestre Zen em busca de instruções, ouça seus ensinamentos sem tentar adequá-los ao seu ponto de vista, caso contrário você não poderá entender o que ele está dizendo. 
Purifique seu corpo, mente, olhos e ouvidos e simplesmente ouça seu ensinamento, refutando qualquer outro pensamento.
Unifique corpo e mente e receba o ensinamento do mestre como se a água estivesse sendo transferida de um vaso para outro.
Se puder alcançar tal estado de corpo e mente, a verdade que o mestre ensina será a sua verdade.

Atualmente, há algumas pessoas tolas que se dedicam a decorar palavras e frases dos sutras e outras que se apegam àquilo que ouviram anteriormente. 
Agindo assim, tentam comparar o que aparentemente sabem com os ensinamentos de um mestre.
Não fazem mais do que manter seus próprios pontos de vista e as palavras de pessoas antigas, ignorando assim as palavras do mestre. 
Há ainda outros, que atribuindo maior importância ao seu próprio pensar auto-centrado, abrem os sutras e memorizam uma ou duas palavras imaginando que isso seja o Dharma de Buda. 
Mais tarde, ao receber o ensinamento do Darma de um mestre Zen iluminado, eles o consideram verdadeiro se coincidir com seus próprios pontos de vista, caso contrário os consideram falsos. 
Não sabendo como abandonar o ponto de vista equivocado, não podem retornar ao verdadeiro Caminho. 
São dignos de pena, pois ficam sujeitos à eterna delusão. Que lamentável!


Os praticantes devem entender que Buda está além do pensar,
 do analisar,
 do discriminar,
 da imaginação,
 da percepção 
e da compreensão intelectual.


 Se não fosse assim, como é que, mesmo tendo sido dotado dessas várias faculdades desde o nascimento, você ainda não entendeu o Caminho?

Presunção,
 discriminação, 
imaginação, 
intelecto, 
compreensão humana 
e assim por diante não tem nada a ver com o Budismo quando estudando o Zen. 

Muitos assim como crianças, brincam com estas coisas desde o nascimento, acordem para o Budismo agora. 
Acima de tudo evite presunção e discriminação: reflita sobre isto.


O caminho de penetrar o portal é conhecido apenas pelos mestres que obtiveram este Dharma. 

Não pode ser alcançado pelos que apenas estudam textos.

Texto de Mestre Dogen ~ Gakudo Yojin-shu ~ "Pontos a observar no Estudo do Caminho". Para alguns estudiosos este material foi escrito em 5 de abril de 1234, para outros 15º dia do equinócio de primavera de 1234,  sete anos após ter retornado da China.




Conheça a Sanga Jisui Zendô

Postar um comentário