sexta-feira, 9 de março de 2012

Psicologia Transpessoal: um olhar além da matéria


Psicologia Transpessoal: um olhar além da matéria - Por Daniele Roses e postado por Igor Teo no


O texto a seguir é de Daniele Roses (Irmã de Igor Teo). 


A Psicologia Transpessoal, chamada de Quarta Força da psicologia (as outras são a psicanálise, comportamental e existencial-humanista), possui conceitos muito interessantes, embora não seja reconhecida como científica. Antes de entrar no texto propriamente dito, é sempre bom lembrar que teorias podem ser compreendidas como metáforas que tentam traduzir uma realidade. Funcionam como mapas: nenhuma teoria é idêntica à realidade, apenas tenta se aproximar ao máximo dela para servir de base para entendê-la. A Psicologia Transpessoal se baseia na metáfora do eu transcendente, sugerida no misticismo de Jung e pelas experiências que extrapolam o eu individual.

A Psicologia Transpessoal é uma vertente ainda não considerada científica dentro da Psicologia que busca estudar e compreender estados alterados de consciência mediante técnicas como hipnose, meditação  e experiências místicas. Como paradigma, o ser organicista cede lugar a um indivíduo psicoespiritual, portador de faculdades extrasensoriais e que se manifesta ao mesmo tempo em múltiplas dimensões. A análise transpessoal busca transcender uma expressão terrena, procurando transferir o indivíduo para uma perspectiva imortal, superando a materialidade do corpo físico.

Muitas vertentes da Psicologia Moderna, e alguns de seus diversos autores, têm concebido o ser humano dentro de um paradigma materialista e organicista, compreendendo a mente humana apenas no período entre nascimento e morte do corpo biológico. Posteriormente, diversos estudos apontaram para uma vida afetiva intra-uterina, e mais recentemente a Terapia de Vidas Passadas tem trazido evidências a respeito da imortalidade da alma e da existência da reencarnação. Ignorar este fato pode significar perder de vista diversos fatores que podem ser causas de patologias presentes atualmente no indivíduo.
Ignorar uma situação problemática não significa eliminá-la ou superá-la, tal postura só permite que os seus fatores constitutivos se desenvolvam até o momento que se tornam insustentáveis, chamando a atenção para enfrentá-los. Um ser consciente deve, portanto, aceitar-se como é e a partir daí aprimora-se sem cessar. A Psicologia Transpessoal, neste sentido, possui uma abordagem ampla, pois quando o profissional não  encontra a causa do sofrimento na vida atual, passa a buscar as questões não só na vida intra-uterina como em possíveis vivências anteriores a essa.
Ao alcançar a verdadeira natureza do  seu espírito, o indivíduo encontra a paz profunda, e conseqüentemente, a luz interior que traz uma cura para seu sofrimento. Na medicina Oriental Chinesa já é sabido há mais de 4000 anos que a cura de um corpo doente se inicia quando há cura do estado mental e emocional do sujeito.  Esse estado de paz e de cura é comparado aos efeitos que as meditações proporcionam na vida de um praticante dentro de um longo período.
Após a morte do “antigo” ego que sofre com seus traumas há  o renascimento de um novo homem, com a sabedoria de poder vivenciar a vida em equilíbrio, conectado com a unidade cósmica.  Há uma ruptura com a dualidade e isso permite um equilibro entre o lado sombrio e o lado de luz da psique, possibilitando assim a integração de paradoxos, como consequência dessa dinâmica, o sujeito passa a ter uma vida mais feliz e equilibrada.
A morte dos condicionamentos do ego e renascimento deste traz a possibilidade de conhecer a si mesmo, tal como ensinaram os antigos mestres com o famoso adágio “Conhece-te a ti mesmo”. O autoconhecimento significa se libertar de todos os condicionamentos, vivendo de acordo com a sua verdade interior, livre de todos os medos que aprisionam o eu em seu universo particular, livre da dependência exclusiva de artifícios externos para se sentir feliz, livre para vivenciar o amor e a beleza de estar consciente de quem verdadeiramente É.

Daniele Roses é estudante de psicologia e Medicina Tradicional Chinesa.
________________________________________________________________
Igor Teo é escritor e estudante de psicologia.
Blog: Artigo 19
Postar um comentário