quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Abandonando o conceito de posse.

Abandonando o conceito de posse:


"Não significa que você não deva possuir nada ou que deva dar tudo o que tiver imediatamente. Você poderá ter grande riqueza e muitas posses e poderá até mesmo apreciá-las e gostar de possuí-las; é provável que você tenha interesse pessoal nelas — como o brinquedo de uma criança, aliás, como o brinquedo de um adulto. Não é uma questão de não ver o valor das posses, o fato é que deve­ria ser da mesma forma fácil desfazer-se delas. Se alguém lhe pedir um objeto específico de que você goste muito, você não deve, de maneira alguma, hesitar; apenas deve dá-lo. Na verdade, a questão é abandonar esse conceito de posse, pois existe uma espécie de ansiedade em ação."


'via Blog this'
Postar um comentário