segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Sacolas plásticas... e o Zen Budismo

Primeiro, sugiro que leiam e assistam o vídeo da reportagem sobre as sacolas plásticas, depois deem uma olhadinha no vídeo (que até já postei por aqui) sobre o Zen e a ecologia... depois se puderem comentem...

Gasshô!!



Com fim da sacola plástica, aprenda como fazer um saco com jornal

DE SÃO PAULO

Fazer as compras no supermercado envolverá uma logística mais complexa a partir de quarta-feira (25), quando as sacolinhas plásticas deixarão de ser distribuídas gratuitamente em São Paulo.
Quem não quiser sair do estabelecimento com os produtos na mão terá de se "lembrar" de levar a sua própria ecobag ou carrinho de feira. Existem tamanhos, modelos e materiais --papel, pano, lona, juta, plástico etc.-- para todos os gostos, bolsos e exigências de uso. É o que mostra a reportagem de Toni Sciarretta publicada na Folhadeste domingo (íntegra disponível para assinantes do jornal e do UOL, empresa controlada pelo Grupo Folha, que edita a Folha).
No vídeo abaixo, o jornalista comenta a mudança e, na sequência, Rita Mismetti ensina a produzir sacolas alternativas usando jornal.
Na melhor das hipóteses, o consumidor vai ganhar do supermercado uma caixa de papelão usada (há risco de contaminação) ou, novidade, terá de comprar uma sacolinha biodegradável por R$ 0,19 --alvo das mais ferozes críticas e resistências, respondidas pelos supermercado por um simples "não compre e leve sua ecobag".
No vídeo acima, o jornalista ainda lembra que os críticos dizem que essa sacola não resolve o problema porque não há compostagem, capaz de degradar lixo orgânico, no país.
Mas a sacola compostável é a que melhor se adequa à realidade de lixões e de aterros sanitários, onde elas se degradam em dois anos.





Postar um comentário