domingo, 22 de janeiro de 2012

Ex-funcionários da Fugast recebem segundo lote das rescisões


Teria iniciado o segundo lote de pagamentos no sábado último.


Sindicato faz apelo para que governo do Estado encaminhe nova lista com nome de trabalhadores.


São 62 duas rescisões pagas hoje na sede do Sindisaúde (Rua João Guimarães, 37, no bairro Santa Cecília) neste segundo lote liberado pelo governo do Estado. Desde as 8h, já foram feitos cerca de 30 pagamentos a trabalhadores afastados de órgãos públicos da saúde depois que o Supremo Tribunal Federal (STF) reconheceu como ilegal o contrato do Estado com a Fundação Universitária de Gastroenterologia (Fugast), em março de 2011. 


O presidente do Sindisaúde, Gilmar França, faz um apelo à Casa Civil para que sejam liberadas novas listas com o ordenamento das rescisões. " Precisamos da nova listagem para podermos organizar os horários de pagamento das rescisões, em fevereiro", disse.


O primeiro lote das rescisões foi pago em dezembro, quando foram beneficiados menos de 40 ex-funcionários da Fugast. O governo tem de pagar as rescisões para pelo menos outras duas centenas de demitidos.


Ouça o áudio: Gilmar França, presidente do Sindisaúde


Fonte: Jimmy Azevedo/Rádio Guaíba




Paralelo a isto a Coordenadora da Auditoria Cidadã da Dívida no Brasil, Maria Lucia Fattorelli estará presente no Fórum Social Temático/A Crise Capitalista, justiça Social e Alimentar, na atividade A DÍVIDA PÚBLICA EM DEBATE, que ocorrerá de 24 a 29 de janeiro em Porto Alegre.


CPERS/Sindicato está participando do Forum Social Temático com essa atividade e tb com o tema da Previdência.


Dia 27 a partir das 8h 30 no Centro de Eventos do Plaza São Rafael - Alberto Bins 509 Centro.


Maria Lucia Fattorelli, é Auditora Fiscal da Receita Federal, participou da comissão que auditou a dívida do Equador que retirou da conta do povo 70% da dívida, recentemente esteve ajudando a organizar comissões para a Auditoria Cidadã em vários países europeus que sofrem com a dita crise da dívida. No Brasil se dedica há anos em questionar a legitimidade da dívida pública, na CPI da Dívida na Câmara Federal constatou muitos indícios de ilegalidades. A Sociedade que paga esta conta, merece saber a verdade! Auditoria Cidadã da Dívida é um Direito Constitucional desde 5 outubro de 1988.





Postar um comentário